Archive for the 'geral' Category

Rapidinhas!

Antes de partir de viagem para Barcelona, resolvi passar com algumas “rapidinhas”!

1. Lutando contra meu computador que trava 300 vezes em 5 minutos, consegui fazer um vídeo da viagem de Mykonos! O post tem sido muito acessado, então quem quiser conferir 6 minutos do resumo do giro pela ilha basta ir no post original: Rodando uma semana por Mykonos – Grécia ou na página de vídeos do blog!

2. Assim que ví na internet o livro ‘Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia’ (Nelson Motta, Editora Objetiva) fiquei desesperado para ler. Alguns dias atrás a minha irmã me trouxe do Brasil e não deu outra. Estou devorando as páginas com a mesma fúria que Tim devorava um ‘sonho’ na padaria! Estou até com pena de ler rápido e acabar, porque vale mesmo a pena! Pelo menos se você tiver um pouco de louco e de músico no sangue.

3. Acabei de ler e fazer as marcações também no guia de Barcelona! Têm muitas dicas legais para o blog quando voltar de viagem e organizar tudo por aqui! Obrigado também à Patricia de Camargo do blog Turomaquia pelas dicas!

4. Registrei o domínio e agora o blog pode ser acessado também pelo endereço: www.rodandopelomundo.com ! Em breve muitas outras novidades!

5. Chega, vou trabalhar um pouco :D

Valeu galera, muita paz e participem sempre!
Michel P. Zylberberg

Anúncios

Festa que não acaba mais!

Aniversário é para ser comemorado, certo? E levei ao pé da letra!

5 dias de festa e curtição! Muitos amigos, bares, lugares, rodadas de cervejas, drinks, comida boa, música, capirinha…

Como a chuva durou todo o fim de semana, o salto de pára-quedas acabou sendo adiado. Mas em breve, assim que tiver um dia livre, vou lá me jogar!

Os planos mudaram um pouco, mas não deixaram de ser irados. Sexta agora estou partindo com a esposa para um fim de semana em Barcelona! PERFEITO!

Meu amigo Romero em Barça!

Um lugar que sempre sonhei conhecer, será minha primeira vez na terra das touradas.

E, como sempre, passarei para postar as aventuras por aqui!

Agora é trabalhar mais 3 dias e depois curtir o belo estresse de viajante!

Obrigado pelos parabéns, pela força e pela visita!

Abraço, beijo e paz!

Michel

aniversário quase chegando

Na próxima segunda ( 21/07/08 ) faço 28 anos. Idade estranha… nem a inconseqüência dos 20 e nem a neura dos 30. Se bem que fiz um teste esses dias que dizia que a minha idade mental era de 23 anos. Acho que o teste estava errado, deve ser muito menos…

Muita gente passa o aniversário angustiado, esperando pelos parabéns, mesmo sem nem ter falado em que dia era. Eu falo, lembro e relembro. Não pelo presente, até porque não ligo, mas pela companhia, pela festa.

Faço pelos amigos do Brasil que me ligam, pela família que manda o carinho, pelas mensagens na internet e quem sabe até aqui no blog. Estou numa fase legal, sem a depressão da juventude e sem as preocupações de um homem de negócios / pai de família.

No meu primeiro ano de casado, de blog, de Suíça, de trabalho na GE… apago as 28 velinhas feliz e saudoso do Brasil e da minha grande “família”. Felizmente meus irmãos estiveram por aqui e alguns amigos estão visitando também.

O Blog tem crescido. Tenho alguns amigos/leitores e espero que continue sempre assim! Um trabalho por prazer, sem remuneração ou ganância. Faço na boa…

Agora você pergunta: Qual será a aventura?

Me presentearei com um salto de pára-quedas aqui na minha cidade!! Se o clima tiver bom e der tudo certo será amanhã, senão, muito em breve… e volto para compatilhar com vocês as imagens dessa festa nas alturas!!!

Muita paz e valeu pela força de sempre!!!

Michel

Qualquer tipo de trabalho merece respeito

Você já se imaginou trabalhando lavando prato em um restaurante, como ajudante de cozinha? E, além do mais, sonhando em algum dia ser promovido à garçom ou chef?

Para muitos é uma coisa absurda e imposível no Brasil, além de existir ainda o preconceito com quem faz esse tipo de trabalho.

Mas, quando a escolha é outro país, muita gente (como eu) acaba atrás da pia de um restaurante lotado, levando esporro do gerente, tentando dar conta de milhares de pratos e panelas.

Se no Brasil o salário é baixíssimo, no exterior já é o suficiente para pagar as contas e ainda economizar. E conheci muita gente que trabalhou anos como ‘kitchen-hand’ (ou ajudante de cozinha) e nunca não se arrependeu.

Alguns outros têm até vergonha de falar que tiveram um trabalho assim. Mas a grande maioria fala na boa e ainda passa a valorizar quem faz esse tipo de trabalho na volta ao Brasil.

Não só esse tipo trabalho, como também garçom, faxineiro, barman, recolhedor de copos, ajudante de pedreiro, segurança e tantos outros. Eu já passei por alguns destes e hoje sei bem como é dura a vida de quem depende de um trabalho assim para viver.

Eu tive muita sorte (graças também ao meu Pai que insistiu para acabar a faculdade) de encontrar um trabalho na minha área no exterior. Mas, para tantos, não existe escolha.

Basta saber aproveitar e valorizar o dinheiro no bolso no fim do mês. Afinal, existem poucas coisas na vida piores do que ficar desempregado. E qualquer tipo de trabalho merece respeito.

Michel P. Zylberberg
https://rodandopelomundo.wordpress.com

Leia mais sobre trabalho no exterior, viagens e muito mais:
Destaques

Rodando uma semana por Mykonos – Grécia

Mesmo quando comecei a ler sobre Mykonos (Grécia) não poderia imaginar que uma ilhazinha (metade do tamanho da Ilha Grande-RJ) pudesse ser um verdadeiro paraíso para turistas de todas as partes do mundo.

Aeroporto internacional, hotéis de luxo e festas para todos os gostos. Uma mistura de férias familiares com liberdade total para todos os tipos e estilos.

Topless de todos os lados, algumas famílias de nudistas brincando com os filhos em algumas praias e casais gays. Tudo em perfeita sintonia e respeito com as pessoas consideradas ‘normais’.

As construções em pedra, pintadas de branco, com portas e janelas coloridas dão o toque no visual em todas a ilha. Fruto da madeira escarsa, esporádicos terremotos e da falta de dinheiro no passado para construções modernas – acabou virando marca registrada de ilhas gregas como Mykonos.

Mas o branco das casas se mistura às cores do belo mar limpo e transparente e ao céu com raras nuvens. A alegre música grega faz a trilha sonora dos milhares de turistas que circulam pela ilha nas épocas quentes do ano.

Para rodar pela ilha basta uma motinha ou um quadricículo (foi a nossa escolha). Para os mais exigêntes é possível alugar todos os tipos de carros. Mas, mesmo com uma altura máxima por volta de 350m e estradas razoáveis, o acesso à algumas praias é muitas vezes inviável. Aí quem resolve o problema são os barcos-taxi, embarcações de pescadores que se adaptam ao fluxo interminável de turistas cobrando um preço razoável.

A ilha vive basicamente do turismo, e vive bem. Tirando o inverno, a quantidade de dinheiro que circula é incrível, justificando a total segurança. Nem sequer ouvi falar de assaltos ou qualquer coisa do gênero. Rodamos a qualquer hora do dia e da noite sem qualquer tipo de preocupação.

Platys Gialos, Paradaise e Super Paradaise são as principais e mais procuradas praias, sempre com inúmeros iates ancorados e protegidas dos fortes ventos do norte.

Para fugir do sol escaldante no conforto de uma cadeira de sol o preço é meio salgado, mas se comer em um dos restaurantes acaba sendo grátis. O atendimento e o estilo se parecem com o do nordeste brasileiro.

A comida grega é famosa em todo o mundo, de qualidade e saborosa. Mas o cuidado tem que ser tomado quanto ao reaproveitamento de frutos do mar e coisas do gênero que podem não ser tão frescos assim.

A cultura também está fortemente presente na ilha. Museus, muitos belos pontos turísticos (moínhos de vento, little venice, farol, igrejas…), visuais inesquecíveis como um belo pôr-do-sol no mar ou a paz de uma praia deserta.

O centro da ilha é sempre cheio de turistas e têm lojas que vão dos souveniers aos grandes – e caros – negócios do mundo todo. Em meio ao comércio se misturam os restaurantes. Os gregos são sempre receptivos e gentis, quase todos falam inglês ou italiano fluentes.

Alemães, suíços e italianos lideram a lista dos turistas. Mas ví também muitos americanos, canadenses, espanhóis, australianos e – lógico – brasileiros. Todos na mesma sintonia, relaxando na praia ou curtindo nas noitadas que vão até de manhã na piscina ou na beira do mar.

Em casal, solteiro ou com os amigos, Mykonos será sempre uma bela pedida! Quem visita a ilha sabe que irá se surpreender a cada segundo. Seja com a cultura, paisagens, festassurpresas que só um lugar assim pode oferecer.

Curta o vídeo desta viagem:

A V I S O :
Rodando Pelo Mundo
mudou de endereço:

www.rodandopelomundo.com

PAZ!

Texto e fotos por Michel P. Zylberberg para o blog Rodando pelo Mundo

A arte de não fazer nada

Muita gente enlouquece quando fica parada, talvez porque ouçam demais a consciência ou sejam mesmo pessoas ativas.

Já passei algumas épocas da vida sem fazer nada e aí aprendi bem a arte de não fazer porra nenhuma.

Nossa cultura impõe um ritmo incessante, de provas e desafios diários e se você entrar no jogo dificilmente sairá.

Eu nunca me imaginei trancado dentro de um escritório a metade do dia. Mas não tive escolha, já que a minha fase hippie, revolucionário, sonhador, revoltado se foi com a minha adolescência.

Mas isso não quer dizer se vender, entrar de vez no jogo sujo. Agora basta adaptar a arte de não fazer nada a nova rotina.

Desligar a mente e o corpo, relaxar e renovar as energias. Faço isso ouvindo música, lembrando das viagens, festas, amigos… das coisas boas da vida.

Por causa do trabalho poderei viajar e conhecer outros lugares, países, culturas. Mas trabalho aqui na Suíça na minha área (design, marketing), com aquilo que gosto, sou um cara sortudo.

Amanhã entrarei de férias e poderei realmente praticar a minha atividade preferida, não fazer porra nenhuma. Tente você também!

Michel P. Zylberberg

P.S.: comecei a publicar meus textos em outro blog: http://blog.travelstart.com.br/

Na Natureza Selvagem

Um grandíssimo amigo que está no Brasil me escreveu falando que assistiu o filme “Na Natureza Selvagem” e pensou pra caralho em mim. Grandes amigos têm saudade, é irmandade.

É conferir para entender o motivo:

A galera toda reunida, se aventurando, na eterna busca pela felicidade. Ou sozinho rodando pelo mundo. Importante é curtir e sonhar sempre!

Aliás, hoje sonhei que tomava umas com Tom Jobim e o Vinicius… sonho louco? Prazer, louco é meu sobrenome!

Abração e muita paz galera!

Valeu, Michel