Quanto posso ganhar trabalhando pelo mundo?

Esta pergunta sempre surge quando pensamos em chutar tudo para o alto no Brasil e nos jogar em algum lugar do mundo, tentando fazer uma grana extra e o famoso pé-de-meia.

Mas, apesar de que se fizermos tudo certo o resultado seja normalmente positivo, existem os riscos e armadilhas. Quero falar um pouco do que já vi e passei, apesar de não me julgar nem de perto um especialista no assunto.

Vou abordar três dos mais visados destinos da atualidade: Irlanda, Inglaterra e Austrália. Sendo que destes só cheguei a trabalhar no último.

O primeiro passo seria o investimento. Custo com passagem (que sempre pesa bastante), papelada (muita!), intermediário (ou o que seja), visto (estudante, trabalho…) e coisas como exame médico e outras coisas mais…

Por este primeiro passo, muita gente já descarta de cara a Austrália, porque realmente é quase o dobro do preço. Aí a escolha fica entre a Irlanda e a Inglaterra, com um custo médio total que gira em torno de R$ 10.000 (contando com um dinheiro para os primeiros dias sem trabalho).

Com climas e estilos parecidos e a diferença maior ficando com a moeda corrente, o sálario mínimo por hora acaba se igualando. Na Irlanda em torno de 8 euros (EUR) e na Inglaterra em torno de 5,40 pounds (GBP), praticamente um-para-um convertendo.

Para um conversão mais precisa pela cotação do dia consulte: http://www.bloomberg.com/invest/calculators/currency.html

steyneJá o dólar australiano (AUD), um pouco menos valorizado, acaba também ficando um-para-um com esses dois países. O mínimo em torno de 12 AUD. Lembrando que o pagamento – diferentemente do Brasil – quase sempre saí toda semana. Melhor para quem tem dificuldades em controlar os gastos.

Com o visto de estudante o permitido seria trabalhar no máximo 20h por semana. Então teríamos:

Irlanda: 160 EUR
Inglaterra: 108 GBP
Austrália: 240 AUD

Quem juntaria dinheiro ganhando isso por semana? Já que apenas o aluguel semanal gira em torno de 80 EUR, 60 GBP e 120 AUD.

Mas aí que está o pulo do gato. Muita gente acaba trabalhando muito mais, mesmo com o risco de deportação.

Os três países que cito, diferentemente de países como Estados Unidos, Canadá e mais alguns da Europa, precisam de mão-de-obra pesada e acabam fechando um pouco os olhos. Já que a grande maioria dos brasileiros trabalha em restaurantes lavando prato, em construção civil e coisas do gênero.

Construção civil aliás, com a fama de ser uma das melhores remunerações. Além de ser horário fixo de trabalho. Em Sydney, por exemplo, trabalhando todos os dias da 7 da manhã às 3 da tarde, o salário fica em torno de 1.000 AUD por semana. Nada mau para quem souber poupar.

Então antes de anunciar o carro nos classificados, vender suas tranqueiras, fazer rifa com os amigos, fazer aulas particulares de inglês e pedir dinheiro para seu pai pense com cuidado. Se é possível fazer dinheiro, claro que sim.

Mas lembre-se que uma vez lá os custo não acabam. O investimento é grande caso queira renovar o visto e pagar mais um curso. E que o controle das escolas muitas vezes é rígido, tendo que ter no mínimo 80% de presença para poder renovar o visto.

Pense também no investimento inicial, que demoraria para ser quitado. Mas chega de desanimá-los, uma vez que no Brasil ganhar R$ 25,00 por hora é muito difícil. Então sabendo regular, economizar e principalmente planejar, é possível partir com calma e segurança.

Mas, o mais importante de tudo, faça contatos sempre! Não fuja de brasileiros porque possivelmente eles que vão te arrumar emprego.

Fica quase tudo na base do contato, um largar o emprego e te coloca no lugar ou alguém que fica sabendo de um lugar que precisa e indica você. Tudo na base da confiança, faça por merecer sempre. Senão se queima e queima teu amigo junto.

Basta não ter medo e vergonha de trabalhar pesado. Com certeza quando voltar você irá valorizar muito mais a sua família, a comodidade do lar e as pessoas que fazem o trabalho pesado no Brasil e ganham muito pouco por isso.

Boa sorte e boa viagem! Nos vemos por aí…

Anúncios

3 Responses to “Quanto posso ganhar trabalhando pelo mundo?”


  1. 1 Ana Carolina Cortez Leite agosto 20, 2007 às 1:42 am

    Na realidade nos vemos por AÍ….. na minha provável primeira viagem ao exterior não irei desfrutar do trabalho de outra terra mas sim dos estudos e da cultura… projetos… Espanha… espero q dê certo!!!

    e então com certeza nos veremos em meio a Europa e nos divertiremos do jeito mais brasileiro possível!

    boas andanças por aí por enquanto Michel…

    to com wordpress agora!

    Namastê

    beijos,

    Carol

  2. 2 naotemcomoesquecer agosto 21, 2007 às 2:33 pm

    Show Carol!!! Te espero por aqui… valeu pela citação no teu novo blog, espero que tenha todo sucesso do mundo e que curta por aqui como eu estou tendo a chance de fazer…

    Mas antes aproveita muitooooo o brasil para nao sentir saudade por um bom tempo.. hueuheuhehueuhe pq nao tem terra melhor que a nossa!!

    Beijao grande, se cuida…. Michel

  3. 3 Leonardo Lopes Manzur novembro 27, 2007 às 3:22 am

    amigo vc poderia passa seu msn pra conversa comigo??
    gostei mto do que vc explico ai mais precisava sabe algumas coisas a mais ;D
    sucesso pra vc valeu!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: